lara duarte.

atRIZ  22/06/1993

Bacharel em Artes Cênicas com ênfase em Interpretação Teatral pela Universidade Federal da Bahia (2015) e formada em Dramaturgia pela SP Escola de Teatro (2018). 

Participou do programa de iniciação cientifica da UFBA com o projeto “A Escrita-Falada: Dramaturgias da Contação de História”. Integrou o Teatro Base – Grupo de Pesquisa Sobre o Método da Atriz como performer e dramaturga, através da pesquisa “Tem Drama: construções dramatúrgicas de uma realidade ficcionada”. No período de 2013 a 2016, a montagem “A Bunda de Simone”, com direção de Diego Pinheiro, recebeu a indicação de Melhor Texto pelo Prêmio BRASKEM de Teatro. O monólogo “Úrsula” foi vencedor na categoria Melhor Cena no III Festival da Costa do Descobrimento recebendo também indicação no FESTU Rio como Melhor Texto.

Participou do projeto História Sob Rocha, com direção de Daniel Guerra, integrando a programação do FIAC - Festival Internacional de Artes Cênicas em Salvador (2015).

Criou a performance cênica “Como Medeia Para Minha Mãe” e da peça “Remedeia”, integrando a programação do Festival VilaVerão e do Festival Tristes, Loucas e Más, ambos em 2016.

Em 2017 integrou o Núcleo Experimental de Artes Cênicas do SESI. Ao final do curso, em 2018, atua como atriz e assistente de

dramaturgia na peça “Acúmulos”, com direção de Kênia dias e Ricardo Garcia e dramaturgia de Márcio Abreu. 

Dramaturgista da peça “Resposta ao Capataz”, espetáculo de formatura da turma 67 da Escola de Arte Dramática da Universidade de São Paulo, em 2018, com direção de Kênia Dias. Dramaturgista da peça “Stabat Mater”, com direção de Janaína Leite tem estreia na Mostra Internacional de Teatro e temporada na cidade de São Paulo em 2019. Por este trabalho, a atriz ganhou o Prêmio Shell de Melhor Dramaturgia.

Como atriz, dramaturga e diretora atuou na cena “Pânico Vaginal”, integrando a programação do festival FESTU 2018 e recebendo a indicação ao prêmio de Melhor Texto. Com a mesma produção, participou do Festival Cena por Cena da Cia. Totus Porcus.

Ainda em 2018 dirigiu e escreveu a cena “Represa”, vencedora do prêmio de Melhor Direção de Movimento no FESTU e participou do Festival Satyrianas. 
Participou de Workshops tais como “TV em Curso”, oferecido pela Casa de Artes de Laranjeiras; “Interpretação para Cinema” oferecida pela instituição Porto Iracema das Artes e; “Palavra em Cena” com o Teatro da Vertigem. Participou de um intercâmbio artístico com o grupo LUME.

Redes Sociais

  • Facebook
  • Instagram