michelle gonçalves.

atRIZ  04/04/1980

Mineira vivendo em São Paulo há mais de dez anos. 

Atriz graduada pela UFMG em 2006, com mestrado na UNICAMP em 2014,  começou sua carreira profissional há mais de duas décadas no Centro de Formação Artística do Palácio das Artes em BH, uma das mais importantes escolas do país.

Além de sua trajetória artística, Michelle tem uma sólida experiência na área de Desenvolvimento Humano – desde o curso de Psicologia na UFMG até dezenas de outros cursos nas áreas do comportamento humano. Esta formação faz com que ela compreenda aspectos da alma humana, do funcionamento da mente e das emoções que notadamente a permitem levar para seu trabalho de atriz sensibilidade e nuances para as personagens que interpreta em todas as linguagens.

Michelle atuou em mais de 30 espetáculos teatrais entre São Paulo e Belo Horizonte com importantes companhias e diretores, além de fazer participações em curtas e longas metragens e atuar em dezenas de filmes publicitários.

Uma das fundadoras do projeto Isso Não É Um Grupo, que tem em repertório os espetáculos ‘Neva’ (2016) e ‘Dezembro’ (2015), de

Guillermo Calderón, dirigidos por Diego Moschkovich, que tiveram grande repercussão enquanto obras, mas também com destaque para o trabalho de Michelle. 

Outro trabalho de destaque foi o solo ‘Verbo’, estreado em 2014 no SESC Pinheiros, escrito e dirigido por Cássio Pires.

Em 2015, Michelle recebeu o Prêmio de Melhor Atriz no FENATA por sua atuação em “Dezembro”. Por seu trabalho em ‘De banda pra lua’ com o Grupo Armatrux, já havia sido indicada ao prêmio Usiminas/SINPARC de Atriz Revelação em 2008, um dos mais importantes da capital mineira.

Entre seus trabalhos mais relevantes estão, ainda em BH, a atuação no grupo Armatrux por 4 anos – entre 2004 e 2008 – nos espetáculos ‘De Banda pra Lua’, com direção de Eid Ribeiro; ‘Nômades’, com dramaturgia de Paulo Azevedo e direção de Cristiana Brandão; ‘Armatrux, a banda’, direção musical de John Ulhoa (Pato Fu) e Bob Faria; ‘Esperando Godot’, direção de Anderson Aníbal e; ‘Fósforos pegam fogo mesmo’, direção de Rodrigo Robleño.

Também na capital mineira, atuou em diversos outros espetáculos, entre eles destacam-se ‘A cada dia a vida fica mais curta’, de Silvia Gomez, dirigido por Yara de Novaes (2006) e ‘Vereda da Salvação’, dirigido por Marcelo Bones em 2002 e destaque do Festival de Curitiba em 2003.

Já em São Paulo, atuou nos espetáculos ‘Diásporas’ da Cia Elevador de Teatro Panorâmico; ‘Ensaio Sobre a Queda’ de Carlos Canhameiro, dirigido por Marcelo Lazzaratto (2013); ‘Pronto para Mudar’ (2011), direção de Janaina Leite e Juliana Sanches (Grupo XIX de Teatro) e; ‘In Memoriam’ (2009/10), dirigido por Paulo Celestino (Grupo XIX de Teatro). 

Na TV, participou de produções como a série ‘Veredas’ (2004) e nos programas ‘Ofício da Palavra’ e ‘Na Estante’ (2008) na Rede Minas. Em 2005 integrou o elenco da novela ‘Esmeralda’.

No cinema participou de longas e curtas metragens, entre eles ‘Como nossos pais’ de Laís Bodanzky (2016), ‘Diz que prazer’ coordenação de Eliana Cesar (2015), ‘Ponto Org’ de Patrícia Moran (2008), ‘Coveiros – Plantadores de sementes’ de João Evangelista (2007), ‘Ler pra Crer’ de Anderson Guerra (2006) e ‘O Próximo Passo’ de Sérgio Gomes (2001).

Além de ter atuado em dezenas de filmes publicitários de grandes marcas trabalhando com importantes diretores como Fernando Meirelles.

Redes Sociais

  • Facebook
  • Instagram