Redes Sociais

  • Instagram
  • Grey Vimeo Ícone
  • Facebook

Gilson de Barros.

ator  07/02/1960 • 1,74

Começa no teatro amador, em 1974. Por três anos frequenta o Curso de Atores do Teatro Armando Gonzaga, ministrado pelo diretor Mário de Oliveira. 

 

Ingressa na UNIRIO, cursando Bacharelado em Artes Cênicas. 

 

Participa do movimento de teatro independente na cidade de Nova Iguaçu (RJ), atuando em vários espetáculos, com direção de Marco Mirelli, Charles Serdeira, Celso Mosciáro e Roberto de Brito. Trabalha como professor de teatro no Colégio Afrânio Peixoto, no Instituto Brasil e na SESNI (Sociedade de Ensino Superior de Nova Iguaçu). Nesse período, cria e dirigi o TUNI (Teatro Universitário de Nova Iguaçu). 

 

Recebe prêmios de Melhor Ator no Festival de Teatro – SATED/RJ - 1980 e no Festival Interregional de Teatro do Rio - 1982, ambos com o espetáculo “Tribunal e Coisas” de Chico Matos.

 

Gilson-Barros-princ.jpg

Junto com o ator Vivaldo Franco coordena a CEU (Casa do Estudante Universitário), ligada à UFRJ, onde teve contato e recebe a supervisão de interpretação do ator Rubens Corrêa para a montagem do espetáculo “O Diário de Um Louco”, de Nikolai Gogol.

Começa no teatro amador, em 1974. Por três anos frequenta o Curso de Atores do Teatro Armando Gonzaga, ministrado pelo diretor Mário de Oliveira. 

 

Ingressa na UNIRIO, cursando Bacharelado em Artes Cênicas. 

 

Participa do movimento de teatro independente na cidade de Nova Iguaçu (RJ), atuando em vários espetáculos, com direção de Marco Mirelli, Charles Serdeira, Celso Mosciáro e Roberto de Brito. Trabalha como professor de teatro no Colégio Afrânio Peixoto, no Instituto Brasil e na SESNI (Sociedade de Ensino Superior de Nova Iguaçu). Nesse período, cria e dirigi o TUNI (Teatro Universitário de Nova Iguaçu). 

 

Recebe prêmios de Melhor Ator no Festival de Teatro – SATED/RJ - 1980 e no Festival Interregional de Teatro do Rio - 1982, ambos com o espetáculo “Tribunal e Coisas” de Chico Matos.

 

Junto com o ator Vivaldo Franco coordena a CEU (Casa do Estudante Universitário), ligada à UFRJ, onde teve contato e recebe a supervisão de interpretação do ator Rubens Corrêa para a montagem do espetáculo “O Diário de Um Louco”, de Nikolai Gogol.